• Observatorio Social da Covid-19

PANDEMIA E PANDEMÔNIO

Por: Ivana Andrés


Quando a pandemia se transforma em pandemônio,

Um voo cego de morcego vira conspiração.

Teoria que coloca em suspeita e suspeição,

Não a natureza largada, mal cuidada, maltratada,

Mas uma nação que para alguém, mais convém, ser a culpada.


Quando a pandemia se transforma em pandemônio,

A ciência deixa de estar entre as coisas chamadas confiáveis,

Devendo à todo momento se defender, se impor, se opor

A questões comuns, tendenciosas e questionáveis,

Por mais que sejam desacreditadas e inacreditáveis.


Quando a pandemia se transforma em pandemônio,

A média, taxa ou platô da curva de contágios e mortes

Não mais causa tristeza, mas chega integrando outro rol.

Como aqueles números de bolsas de valores,

Ou como vitórias em partidas de futebol.


Quando a pandemia se transforma em pandemônio,

Os laços que unem os seres sociais são transmutados.

O outro é radicalmente o outro, um ser descartável.

Sua morte não é perda, mas algo até aceitável,

Num mundo em escassez gerido pelo mercado.


Neste mundo de barbárie e insanidade,

Em que um vírus é pretexto para se “passar a boiada”,

Se estamos tristes, deprimidos ou indignados,

Que seja isto o resgate de nossa solidariedade,

Empatia, civilidade, cultura ou humanidade.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

PARA VOCÊ, CORONA, UM NAMASTÊ!

Por: Ivana Andrés Te pergunto, meu amigo, Que vive este tempo comigo. Tempo de grandes perigos, Tempo do coronavírus. O corona quer te matar? Ou ele só quer viver? Coloque-se no lugar dele E deixe o c

O EU E O OUTRO

Por: Ivana Andrés Eu sou eu só para mim, Minha subjetividade, meu ego. O sujeito, a consciência de si, É a minha consciência, A consciência de mim. Devo então cuidar de mim, Cultivar minha subjetivida